Seja bem-vindo. Hoje é

20 de set de 2013

Caio Fernando Abreu

"Se me perguntarem como estou, eis a reposta: Estou indo. Sem muita bagagem. Pesos desnecessários causam sempre dores desnecessárias. Esvaziei a mala, olhei no fundo dela, limpei, e estou indo preenche-la com coisas novas. Sensações novas, situações novas, pessoas novas. Tudo novo."

 Caio Fernando Abreu

25 de ago de 2013

***



Quando a gente está contente
tanto faz o quente, tanto faz o frio.
Tanto faz que eu me esqueça
do meu compromisso ou isso e aquilo
que aconteceu dez minutos atrás.
Dez minutos atrás já deu
pra uma teia de aranha crescer
e aprender a sua vida na cadeia do pensamento
que de um momento pra outro começa a doer.

Quando a gente está contente
gente é gente, gato é gato
barata pode ser um barato total.
Tudo que você comer deve fazer mal.
Quando a gente está contente
nem pensar que está contente
nem pensar que está contente
nem pensar: a gente quer
a gente quer, a gente quer
a gente quer é viver.

Caio Fernando Abreu
In Poesias Nunca Publicadas de Caio Fernando Abreu

8 de jan de 2013

Caio Fernando Abreu

 
“Poderia eu passar horas perdida em pensamentos meus. Com fios de cabelos perdidos entre os lençóis. Tão inquieta. Ora de um lado, ora de outro. Trocar cabeça pelos pés. Assustar-me com alguns dos pensamentos mais obscuros que se passam em minha mente. Eu gosto de ser deixada sozinha, meu caro. Desculpe-me se parece complicado para você entender. Não pense que é loucura. É vontade de pensar, de conversar comigo mesma. Mal sabe o quão bons são meus longos diálogos… Eu quero ficar por aqui. Quieta, entre as quatro paredes do quarto. Só meu corpo e minha mente. Novas pessoas vão chegando em minha vida, mas eu não as deixo entrar. Eu barro a porta, ignoro ligações, fujo de encontros… Eu tenho medo, amor. Medo de ser deixada outra vez. O celular descarregou e eu o deixei assim, fechei as janelas e a porta. Tornei-me incomunicável, estou trancada em mundo só meu. Sabe-se lá por quanto tempo será… Talvez esteja à espera de alguém que invada a minha vida. Alguém que note que estou apagada atrás dos sorrisos. Que olhe verdadeiramente no fundo dos meus olhos e veja que me sinto só. Ando esperando um abraço sem palavras, um conforto.” 

Caio Fernando Abreu