Seja bem-vindo. Hoje é

10 de mai de 2010

POUR LA ROUTE


Quem sabe o Mozart si loin,
maybe a tarde entre os loureiros,
peut-être le coucher du soleil?
Chamam nomes na memória:
ah inverno que não acaba nunca
ah vontade de chorar sem dor.

Pelo tempo, pelas perdas,
pelas coisas, pelas gentes,
que passam e passeiam pelas notas do piano,
janelas de TGV, hotéis, insônias,
gares, mochilas, cabines.
Tudo outra vez, entre a bruma
desta última tarde em Bordeaux.


Bordeaux, março de 1993.

Caio Fernando Abreu
in Poemas, de O Essencial da década de 90.

Nenhum comentário:

Postar um comentário